UFMG | Campos Montes Claros
Home » Pós-Graduação » Mestrado Associado UFMG-Unimontes em Sociedade, Ambiente e Território
Mestrado Associado UFMG-Unimontes em Sociedade, Ambiente e Território

O objetivo do Mestrado Associado UFMG-Unimontes é formar profissionais para compreender e analisar a relação entre Sociedade, Ambiente e Território utilizando metodologias interdisciplinares. Visa articular a variedade de conhecimentos das diversas áreas das humanidades e ciências sociais aplicadas para fornecer ao mestrando habilidades para analisar dinâmicas sociais, ambientais e espaciais nas suas interfaces com o desenvolvimento, os territórios, os programas públicos, as transformações demográficas e as populações rurais.
As duas instituições – UFMG e Unimontes – criaram este Mestrado ponderando questões emergentes formuladas pela sociedade, pela política pública e por profissionais que atuam em movimentos sociais. Essas questões representam importantes desafios analíticos, que devem ser enfrentados com a interdisciplinaridade, que tem as condições para criar no desaguadouro desses temas novas fronteiras para o conhecimento, o desenvolvimento e a inovação.

O perfil do profissional a ser formado está disponível aqui.

Secretaria

Responsável: Maria Clara Gonçalves Madureira
Telefone: (38) 2101-7748
Email: mestradosat@ica.ufmg.br
Atendimento: 8h às 11h e 14h às 16h

ESTRUTURA CURRICULAR

O mestrado tem uma única área de concentração denominada Sociedade, Ambiente e Território que foca inter-relações entre esses três grandes temas. Visa articular a diversidade de conhecimento das variadas áreas das humanidades e ciências sociais aplicadas para criar habilidades para analisar processos sociais, ambientais e espaciais em suas interfaces com desenvolvimento, territórios, programas públicos e dinâmicas demográficas.

O programa tem duas linhas de pesquisas:

Linha 1. Sociedade e ambiente

Esta linha tem como objetivos pesquisar as relações entre as sociedades e os recursos naturais, investigando os grupos humanos na sua interação com os ambientes naturais e construídos nas suas diversas situações. Compreende o estudo da criação de mecanismos de gestão de recursos, as ações coletivas e públicas de mediação, os conflitos e acordos em torno de fluxos e estoques de recursos da natureza. Igualmente, procura compreender as dinâmicas históricas de uso e distribuição de recursos naturais, identificando culturas e costumes associados a grupos humanos, transformações induzidas nas relações entre as sociedades humanas e a natureza. Inclui estudos sobre povos tradicionais e seus costumes relacionados a determinados biomas, as tensões originadas dos confrontos entre população e recursos, os programas e políticas associados aos recursos e à sua conservação. Configurando-se os seguintes eixos temáticos de pesquisa: (i) conflitos, (ii) cultura e recursos e (iii) população e natureza. Docentes alocados nesta linha: Andréa Zhouri, Andréa M. Narciso Rocha de Paula, Daniel Coelho de Oliveira, Flávia Maria Galizoni, Felisa Cançado Anaya, Heloísa Soares de Moura Costa, Isabel Cristina B. Brito, Rômulo Soares Barbosa,. 

Linha 2. Território e desenvolvimento

Com o propósito de pesquisar e desenvolver conhecimentos sobre as diversas interações entre os espaços, as ações humanas e o desenvolvimento, analisando as características sócio/econômicas/culturais de espaços determinados para compreender potencialidades e limites do crescimento. Compreende estudos sobre territorialidades, programas de desenvolvimento, interação rural/urbano, climas e técnicas de espaços subnacionais que configuram especificidades. Para tanto, concebe-se o território como uma categoria polissêmica que encerra processos dinâmicos, múltiplos, diversos e contraditórios nas formas de apropriação e uso da natureza. Estado e sujeitos sociais assumem assim importância pela sua ação política como gestores, mas também como produtores do território. Esta linha de pesquisa contemplará investigações sobre o processo contínuo de produção de territórios e a construção de políticas públicas de desenvolvimento territorial, com um foco articulado desta temática no semiárido e na sua relação com outras dinâmicas da sociedade brasileira, configurando-se os seguintes eixos temáticos de pesquisa: (i) programas públicos; (ii) território; (iii) semiárido. Docentes alocados nesta linha: Aureo Eduardo Magalhães Ribeiro, Fausto Makishi, Giovanni Fonseca Campos, Iara Sores, Hélder dos Anjos Augusto, França, Luiz Paulo Fontes Rezende, Roberto L. Monte-Mór,  Roberto Nascimento Rodrigues, e Vanessa Marzano. 

O curso de Mestrado em Sociedade, Ambiente e Território terá dois anos de funcionamento e uma entrada anual de estudantes.

Terá direito ao título de mestre o(a) estudante que completar um mínimo de 18 (dezoito) créditos. Contará com 4 disciplinas obrigatórias que darão base teórica interdisciplinar aos estudantes. São elas: “Metodologia de pesquisa interdisciplinar”, “Fundamentos teóricos em território, ambiente e sociedade” e Seminários de dissertação I e II. E serão 10 as disciplinas optativas: Cultura, população e natureza; Sujeitos sociais, identidades e territorializações; Programas públicos, desenvolvimento e gestão territorial; Semiárido: sociedade e natureza; Ecologia política; Licenciamento ambiental; Agricultura familiar, território e desenvolvimento; Urbanização e meio ambiente; Tópicos Especiais I e II.

Desta forma, espera-se num primeiro momento fortalecer nos estudantes enfoque teórico e metodológico interdisciplinar e, em momento posterior, solidificar base teórica, massa crítica e consolidar o projeto de pesquisa. As disciplinas serão conduzidas por dois ou mais professores de modo a gerar sinergias e práticas constantes de exercitar olhares múltiplos, diversos e interdisciplinares sobre os temas abordados.  O quadro abaixo explicita as disciplinas, sua relação com a linha de pesquisa e o semestre que será ofertada.

 

Organização curricular do curso.

Linha Disciplina Semestre
1 e 2 Metodologia de pesquisa interdisciplinar 1
1 e 2 Fundamentos teóricos em território, ambiente e sociedade 1
1 e 2 Seminário de dissertação I 1
1 e 2 Ecologia Política 1
1 e 2 Agricultura familiar, território e desenvolvimento 1
1 e 2 Licenciamento Ambiental 2
1 e 2 Urbanização e Meio Ambiente 2
1 e 2 Seminário de dissertação II 2
1 e 2 Tópicos especiais I 2
1 e 2 Tópicos especiais II 2
1 Cultura, população e natureza 1
1 Sujeitos sociais, identidades e territorializações 2
2 Programas públicos, desenvolvimento e gestão territorial 1
2 Semiárido: sociedade e natureza 2

 

O estudante realizará um exame de qualificação impreterivelmente no início do terceiro semestre. Os exames de qualificação ocorrerão com a participação de dois docentes, além do orientador.  A defesa da dissertação deverá ocorre até o final dos 24 meses do ingresso.

 

O acervo digital de dissertações  encontra-se disponível na Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFMG.

 

Estudante Data Titulação Orientador/Co-Orientador Título Banca Examinadora
 ANA JACQUELINE SALES SANTOS

27/07/2017

Orientador: Flávia Maria Galizoni Um programa, contextos distintos – um estudo sobre o PNAE no Território do Alto Jequitinhonha Daniel Coelho de Oliveira
Reinaldo Duque Brasil Landulfo Teixeira
ANDREIA MARIA ASSUNÇÃO BATISTA

29/06/2017

Orientador: Aureo Eduardo Magalhães Ribeiro O financiamento do desenvolvimento territorial: uma análise do
PROINF nos Territórios da Cidadania do Alto e Médio Jequitinhonha em Minas Gerais entre 2003 e 2015.
Andréa Maria Narciso Rocha de Paula Natalino Martins Gomes
ARTHUR SALDANHA DOS SANTOS

31/07/2017

Orientador: Roberto do Nascimento Rodrigues Um olhar sobre as juventudes rurais: desafios, possibilidades e limitações no município de Porteirinha (MG) Douglas Sathler dos Reis
Áureo Eduardo lhães Ribeiro
CLARISSA GODINHO PRATES

31/07/2017

Orientador: Andréa Luísa Zhouri Laschefski Efeitos derrames da mineração, violências cotidianas e resistências em conceição do Mato Dentro, MG Felisa Cançado Anaya
Denise de Castro Pereira Rômulo Soares Barbosa
CRISTH ELLEN FERREIRA PINHEIRO

28/07/2017

Orientador: Hélder dos Anjos Augusto Agricultura urbana em Montes Claros, MG: funcionalidades, produção e comercialização. Cândido Alves da Costa Luís Antônio Pasquetti Daniel Coelho Oliveira
EDMILSON MENDES DE FARIA

29/09/2017

Orientador: Klemens Augustinus Laschefski Entre caminhos: um estudo sobre as consequências da
modernidade no quilombo dos Nogueiras na cidade de Montes Claros, Minas Gerais.
Giovanni Campos Fonseca
Áureo Eduardo Magalhães Ribeiro
ELIS MEDRADO VIANA

28/07/2017

Orientador: Isabel Cristina Barbosa de Brito Juventudes do campo: a construção de sujeitos sociopolíticos e a afirmação de direitos Daniel Coelho de Oliveira
Maria Aparecida Colares Mendes
FÁBIO DA SILVA GONÇALVES

31/07/2017

Orientador: Daniel Coelho Oliveira Se me der de beber, também bebe, se me der de comer, também come: um estudo sobre a corrida dos espíritos e dos
homens nos terreiros de Candomblé, Umbanda/Quimbanda em Bocaiúva
Hebert Canela Salgado
Isabel Cristina Barbosa de Brito
GREICIELE SOARES DA SILVA

25/07/2017

Orientador: Rômulo Soares Barbosa Terra e território: a territorialização da luta agrária dos nativos do Arapuim no Norte de Minas Gerais Andréa Maria Narciso Rocha de Paula Vilson Alves Moreira
GUILHERME HENRIQUE DE OLIVEIRA FONSECA

08/06/2017

Orientador: Roberto L. M. Monte-Mor;
Co-orientadora: Iara Soares de França
Planejamento em área de vulnerabilidade social: um estudo sobre o bairro Cidade Cristo Rei (Montes Claros, MG) Sibelle Cornélio Diniz da Costa Hélder dos Anjos Augusto
HELEN DAYANE RODRIGUES SANTA ROSA

17/08/2017

Orientador: Felisa Cançado Anaya O governo da lua: relação natureza e cultura no contexto da Política Nacional de Gestão Ambiental e Territorial nos Xacriabá João Dal Poz Neto Aderval Costa Filho
Mônica Celeida Rabelo Nogueira
JETER LIANO SILVA

27/07/2017

Orientador: Aureo Eduardo Magalhães Ribeiro Os custos da seca no semiárido: um estudo de caso no rural do vale do Jequitinhonha Mineiro Vico Mendes Pereira Lima
Leo Heller
SIMONE TORRES GUSMÃO SANTOS

31/07/2017

Orientador: Luiz Paulo Fontes de Rezende Programa Bolsa Família: uma análise regional da evolução dos indicadores da pobreza relativa no Brasil Hélder dos Anjos Augusto Alba Valéria Nilza Silva
VINICIUS QUEIROGA SILVA

31/08/2017

Orientador: Heloísa Soares de Moura Costa Loteamentos rurais e as mudanças na ocupação do solo em Montes Claros, MG Isabel Cristina Barbosa de Brito Rômulo Soares Barbosa

 

Estudante Data Titulação Orientador/Co-Orientador Título Banca Examinadora
ALEX DOUGLAS MARTINS DEMIER

27/07/2018

Orientador: Daniel Coelho Oliveira Doces matas do Norte de Minas: atores, instituições e a obtenção do registro de indicação geográfica do mel de aroeira Fausto Makishi
Clesio Marcelino de Jesus Rômulo Soares Barbosa
ANA PAULA DE SOUZA REIS ASSIS

31/08/2018

Orientador: Iara Soares de Franca Uma análise do direito à moradia a partir das leis instituídas em
Montes Claros, MG, para Abrigar os empreendimentos imobiliários do PMCMV
éloisa Soares de Moura Costa Antônio Augusto Pereira Moura
DANIELA MENDES QUEIROZ

31/07/2018

Orientador: Isabel Cristina Barbosa de Brito Mulheres do campo, reconhecimento e trabalho na construção de outras economias em Porteirinha Luciene Rodrigues Felisa Cançado Anaya
Luiz Paulo Fontes de Rezende
EDNA LUCIA GELMINI

31/08/2018

Orientador: Hélder dos Anjos Augusto A universidade e o desenvolvimento regional: o Instituto de Ciências Agrárias no Norte de Minas Gerais Luiz Paulo Fontes de Rezende Leandro Luciano da Silva
ELAINE CRISTINA RAMOS

31/07/2018

Orientador: Roberto do Nascimento Rodrigues Do condão participativo à talinga jurídica: um estudo da intervenção social na execução da ação de apoio a Projetos de Infraestrutura e Serviços em Territórios Rurais – PROINF Marcelo Miná Dias Betty Nogueira Rocha
Rômulo Soares Barbosa Haruf Salmen Espindola
 

ELIANA DE ARAUJO VIEIRA

26/04/2018

Orientador: Heloísa Soares de Moura Costa Residenciais de habitação de interesse social em Montes Claros/ MG: estratégias e/ou adaptações de seus moradores.  

Vanessa Marzano Araújo Iara Soares de França

GABRIEL COSTA RIBEIRO

30/07/2018

Orientador: Andráa Luisa Zhouri Laschefski
Co-Orientador: Felisa Cançado Anaya
Lutar com os pés no chão para continuar caminhando: uma ecologia
política da megamineração de ferro no Distrito do Vale das Cancelas (Grão Mogol, MG).
Aderval Costa Filho Rômulo Soares Barbosa
GILDARLY COSTA DA CRUZ

13/07/2018

Orientador: Aureo Eduardo Magalhães Ribeiro A seca no cotidiano: estudo dos efeitos da estiagem sobre famílias de comunidades rurais de Januária, MG. Thiago Rodrigo de Paula Assis Vanessa Marzano Araújo
JÚLIA VELOSO DOS SANTOS

31/07/2018

Orientador: Felisa Cançado  Anaya Gente que planta os pés no chão: disputas territoriais no parque estadual da mata seca Andréa Maria Narciso Rocha de Paula Ana Paula Glinfskoi Thé
LUCIANA GOMES MARQUES GALVÃO

18/07/2018

Orientador: Giovanni Campos Fonseca Co-Orientador: Iara Soares de Franca Produção do Espaço Urbano na Serra do Mel por Condomínios Fechados em Montes Claros – MG. Luiz Paulo Fontes de Rezende Leandro Luciano da Silva Marcos Esdras Leite
LUCIANO VIEIRA LIMA

31/07/2018

Orientador: Hélder dos Anjos Augusto O processo de criação de Escola Família Agrícola no município de Jaíba, MG Fausto Makishi
Daniel Coelho de Oliveira Leandro Luciano da Silva
LUDMILA BANDEIRA PEDRO DE FARIAS

23/03/2018

Orientador: Flávia Maria Galizoni A voz das Bruxas:  empoderamento das mulheres no assentamento Dênis Gonçalves, Minas Gerais. Daniel Coelho Oliveira Giovanni Campos Fonseca
PATRICIA MORAIS LIMA

31/07/2018

Orientador: Rômulo Soares Barbosa Neoextrativismo e efeitos derrame: a mineração de ouro em Riacho dos Machados, MG Daniel Coelho de Oliveira Vico Mendes Pereira Lima
PAULO HENRIQUE CAMPOS LEITE

30/07/2018

Orientador: Rômulo Soares Barbosa Conflitos ambientais e a atuação do Núcleo de Resolução de Conflitos Ambientais – NUCAM – do Ministério Público do Estado de Minas Gerais Felisa Cançado Anaya
Andréa Maria Narciso Rocha de Paula Rafael Soares Duarte de Moura
ALEX DOUGLAS MARTINS DEMIER

27/07/2018

Orientador: Daniel Coelho Oliveira Doces matas do Norte de Minas: atores, instituições e a obtenção do registro de indicação geográfica do mel de aroeira Fausto Makishi
Clesio Marcelino de Jesus Rômulo Soares Barbosa
ANA PAULA DE SOUZA REIS ASSIS

31/08/2018

Orientador: Iara Soares de Franca Uma análise do direito à moradia a partir das leis instituídas em
Montes Claros, MG, para Abrigar os empreendimentos imobiliários do PMCMV
éloisa Soares de Moura Costa Antônio Augusto Pereira Moura
DANIELA MENDES QUEIROZ

31/07/2018

Orientador: Isabel Cristina Barbosa de Brito Mulheres do campo, reconhecimento e trabalho na construção de outras economias em Porteirinha Luciene Rodrigues Felisa Cançado Anaya
Luiz Paulo Fontes de Rezende
EDNA LUCIA GELMINI

31/08/2018

Orientador: Hélder dos Anjos Augusto A universidade e o desenvolvimento regional: o Instituto de Ciências Agrárias no Norte de Minas Gerais Luiz Paulo Fontes de Rezende Leandro Luciano da Silva
ELAINE CRISTINA RAMOS

31/07/2018

Orientador: Roberto do Nascimento Rodrigues Do condão participativo à talinga jurídica: um estudo da intervenção social na execução da ação de apoio a Projetos de Infraestrutura e Serviços em Territórios Rurais – PROINF Marcelo Miná Dias Betty Nogueira Rocha
Rômulo Soares Barbosa Haruf Salmen Espindola
ELIANA DE ARAUJO VIEIRA

26/04/2018

Orientador: Heloísa Soares de Moura Costa Residenciais de habitação de interesse social em Montes Claros/ MG: estratégias e/ou adaptações de seus moradores. Vanessa Marzano Araújo Iara Soares de França
GABRIEL COSTA RIBEIRO

30/07/2018

Orientador: Andráa Luisa Zhouri Laschefski
Co-Orientador: Felisa Cançado Anaya
Lutar com os pés no chão para continuar caminhando: uma ecologia
política da megamineração de ferro no Distrito do Vale das Cancelas (Grão Mogol, MG).
Aderval Costa Filho Rômulo Soares Barbosa
GILDARLY COSTA DA CRUZ

13/07/2018

Orientador: Aureo Eduardo Magalhães Ribeiro A seca no cotidiano: estudo dos efeitos da estiagem sobre famílias de comunidades rurais de Januária, MG. Thiago Rodrigo de Paula Assis Vanessa Marzano Araújo
JÚLIA VELOSO DOS SANTOS

31/07/2018

Orientador: Felisa Cançado  Anaya Gente que planta os pés no chão: disputas territoriais no parque estadual da mata seca Andréa Maria Narciso Rocha de Paula Ana Paula Glinfskoi Thé
LUCIANA GOMES MARQUES GALVÃO

18/07/2018

Orientador: Giovanni Campos Fonseca Co-Orientador: Iara Soares de Franca Produção do Espaço Urbano na Serra do Mel por Condomínios Fechados em Montes Claros – MG. Luiz Paulo Fontes de Rezende Leandro Luciano da Silva Marcos Esdras Leite
LUCIANO VIEIRA LIMA

31/07/2018

Orientador: Hélder dos Anjos Augusto O processo de criação de Escola Família Agrícola no município de Jaíba, MG Fausto Makishi
Daniel Coelho de Oliveira Leandro Luciano da Silva
LUDMILA BANDEIRA PEDRO DE FARIAS

23/03/2018

Orientador: Flávia Maria Galizoni A voz das Bruxas:  empoderamento das mulheres no assentamento Dênis Gonçalves, Minas Gerais. Daniel Coelho Oliveira Giovanni Campos Fonseca
PATRICIA MORAIS LIMA

31/07/2018

Orientador: Rômulo Soares Barbosa Neoextrativismo e efeitos derrame: a mineração de ouro em Riacho dos Machados, MG Daniel Coelho de Oliveira Vico Mendes Pereira Lima
PAULO HENRIQUE CAMPOS LEITE

30/07/2018

Orientador: Rômulo Soares Barbosa Conflitos ambientais e a atuação do Núcleo de Resolução de Conflitos Ambientais – NUCAM – do Ministério Público do Estado de Minas Gerais Felisa Cançado Anaya
Andréa Maria Narciso Rocha de Paula Rafael Soares Duarte de Moura

 

O ICA/UFMG conta com dois grandes laboratórios de informática, que com os demais recursos tecnológicos disponíveis, contribuem para a capacitação e atualização da comunidade acadêmica. Além de apoiar as atividades de ensino-aprendizagem realizadas, por meio da disponibilização de infraestrutura para realização de aulas e trabalhos acadêmicos, os laboratórios dão suporte também à execução de trabalhos institucionais; à promoção de cursos de informática (treinamentos); e ao desenvolvimento de ações de extensão.

O laboratório 1, localizado no Bloco B, conta com 30 computadores instalados em bancadas individuais distribuídas em uma área de 52m2, climatizada e com iluminação natural e artificial adequadas à realização das atividades. O laboratório 2, localizado no Bloco D, conta com 40 computadores instalados em bancadas. individuais distribuídas em uma área de 96 m2, com ventilação e iluminação natural e artificial adequadas à realização das atividades. Os laboratórios de informática contam com monitores (alunos bolsistas) para controle do acesso aos equipamentos e para apoio técnico à utilização da infraestrutura disponível. O acesso aos equipamentos dos laboratórios é permitido a toda a comunidade acadêmica em horários em que não estejam sendo utilizados para aulas (que são previamente agendada).

A universidade parceira – Unimontes – também dispõe de instalações próprias para o uso deste Mestrado. Tem um prédio com três pavimentos, sendo o primeiro dividido em um auditório com 103,76 m2, um laboratório de informática com 47,75 m2 com 15 computadores, e disponibiliza uma sala com gabinetes para professores, espaço para reunião e apoio de pesquisa para os discentes.

A infraestrutura do Instituto de Ciências Agrárias da UFMG sofreu grandes modificações com a aprovação de projetos junto à FINEP, através dos seguintes editais: EDITAL FINEP CAMPI REGIONAIS 03/2007, para implantação do Centro de Pesquisa em Ciências Agrárias, e EDITAL CHAMADA PÚBLICA MCT/FINEP/CT-INFRA-NOVOS CAMPI 02/2008, que permitiu a expansão do Centro de Pesquisas com construção de laboratórios e aquisição de equipamentos. Com estes recursos, foi construído uma área total do complexo de 1520 m2, contemplando um laboratório de ciências sociais aplicadas que é gerido pela equipe proponente deste mestrado.

Além dos laboratórios de informática na UFMG e na Unimontes, outros recursos disponíveis para apoio à realização de atividades acadêmicas no Campus UFMG/Montes Claros são 20 notebooks, 16 máquinas fotográficas digitais, 2 equipamentos de som e 30 projetores multimídia (data show), distribuídos entre aqueles fixos em salas de aula, nos laboratórios de informática e nos auditórios, além de aparelhos móveis para serem utilizados em outros espaços do Campus.

Os laboratórios funcionam como salas de aula informatizadas, nas quais alunos e professores desenvolvem atividades acadêmicas relacionadas aos diversos conteúdos, apoiados por programas (softwares) de gerenciamento e recursos de multimídia. Os principais softwares disponibilizados são Windows Professional, Linux Ubuntu, Br Office, Solid Works (desenho técnico), Saeg (análise estatística) e Octave (programação e matemática). Vale destacar a disponibilização de acesso à Plataforma Moodle: um aplicativo para internet, gratuito, também conhecido como Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), utilizado para criação de sítios de apoio ao processo de ensino-aprendizagem. Os computadores destes dois locais tem acesso a rede de comunicação científica (internet) e softwares do windows. Em relação ao acesso à Internet, a estrutura dos laboratórios de informática possibilita à comunidade acadêmica acesso livre on-line.

A Biblioteca do ICA, Campus Regional da UFMG tem acervo adequado para atender às demandas informacionais dos seus usuários (alunos, técnico-administrativos, professores e pesquisadores). Os serviços prestados garantem aos seus usuários o acesso às obras do acervo nas estantes e empréstimo domiciliar de materiais impressos, audiovisuais e eletrônicos, bem como o acesso a periódicos locais e via Capes e outras informações. O Sistema de Bibliotecas da UFMG (www.bu.ufmg.br) é composto por 25 Bibliotecas nas diversas áreas do conhecimento. O acervo patrimonial é formado por itens nas diversas áreas do conhecimento, e o usuário UFMG tem o livre acesso a todo o acervo bibliográfico do Sistema, respeitadas as peculiaridades das coleções. O acervo do Sistema de Bibliotecas da UFMG é composto por mais de 1 milhão de itens (livros, cds, dvds, periódicos e outros). A comunidade, por meio do cartão da Biblioteca, tem acesso a qualquer obra no âmbito da UFMG. O usuário pode realizar o empréstimo e a devolução de livros em qualquer Biblioteca do Sistema. O intercâmbio de obras entre Montes Claros e Belo Horizonte pode ser realizado pelo Serviço de Malote que funciona 2 vezes por semana. Os livros não localizados no Sistema de Bibliotecas, existentes em outras Bibliotecas Universitárias podem ser solicitados pelo serviço de Empréstimo Entre Bibliotecas em âmbito nacional. Da mesma forma funciona o serviço comutação de artigos científicos. O usuário tem acesso ao acervo local, ao acervo do SB, via e-mail e o que não consta na UFMG é comutado via Serviço Comut. Os artigos solicitados são recebidos entre 12 a 48 horas da solicitação, pelo e-mail do usuário.

O acervo do ICA é composto por cerca de 9.000 títulos e 18.000 exemplares de livros nas mais diversas áreas e por 1.100 títulos de periódicos especializados em 11.000 fascículos e 350 volumes de fitas, vídeos e CD-ROM. Todos os itens encontram-se devidamente catalogados e disponibilizados para os usuários para consulta e/ou empréstimo. Através do site www.bu.ufmg.br é possível visualizar o acervo da Biblioteca, número de títulos e de exemplares disponíveis em base de dados local (Campus Regional da UFMG em Montes Claros) e online (SB@net).

A Unimontes tem a Biblioteca Central Professor Antônio Jorge, instalada no Campus Universitário “Prof. Darcy Ribeiro”, é informatizada e ocupa uma área de 2.748,04 m, sendo 762, 44 desse espaço destinado ao acervo. A Biblioteca Central Professor Antônio Jorge integra o Sistema de Bibliotecas Universitárias sendo constituída por:

  • Biblioteca Central Professor Antônio Jorge – Montes Claros.
  • Bibliotecas Setoriais de Montes Claros: Biblioteca Setorial do Centro de Educação Profissional eTecnológico (CEPT) e Biblioteca Setorial do Hospital Universitário Clemente de Faria.
  • Bibliotecas Setoriais fora da sede: Almenara, Bocaiuva, Brasília de Minas, Espinosa, Janaúba, Januária, Paracatu, Pirapora, Salinas, São Francisco, Unaí e Núcleo de Joaíma.

Além do atendimento à comunidade acadêmica por meio de empréstimo bibliográfico, há empréstimo bibliográfico entre bibliotecas da Unimontes, renovação on-line: reserva on-line e infopesquisa, a Biblioeteca integra o Sistema Comutação Bibliográfica. Este serviço permite a solicitação de cópias de documentos e a realização de levantamentos bibliográficos que não constam do acervo da Biblioteca Central da Unimontes buscando-se então, em outras instituições no Brasil ou no exterior. Esses serviços são realizados através dos convênios: Comut, Bireme e Portal CAPES. Sobre os periódicos, a Biblioteca possui uma coleção de periódicos científicos e de conhecimentos gerais, nacionais e estrangeiros.