UFMG | Campos Montes Claros
Home » Setor Administrativo » Planejamento e Infraestrutura
Planejamento e Infraestrutura

A Coordenadoria de Planejamento e Infraestrutura do ICA é uma divisão administrativa, de caráter executivo e consultivo, com a responsabilidade de coordenar todas as atividades relacionadas ao planejamento, gestão financeira, aquisição de bens e serviços, patrimonial, guarda de bens e manutenção predial no âmbito do Campus Montes Claros. Estão subordinadas à Coordenadoria de Planejamento e Infraestrutura as seções de Contabilidade, Patrimônio, Almoxarifado, Compras, Informática, Audiovisual e Serviços Gerais.

 

Coordenador: Engº João Victor Gonçalves Oliveira / Telefone: (38) 2101-7934

Subcoordenadora: Nívea Alves de Almeida / Telefone: (38) 2101-7760

Engenheiro Eletricista: Engº Huggo Rhodrigo Soares Marinho / Telefone: (38) 2101-7713

Administrador: Islas Batista Guedes / Telefone: (38) 2101-7760

Técnico em Contabilidade: Joycemara Alves Silva Tofani / Telefone: (38) 2101-7760

Técnico Agropecuário: Dênniel Trajinelli Coelho Pinheiro / Telefone: (38) 2101-7952 / infraestrutura@ica.ufmg.br

Estagiário: Ketley Lopes Amaral / Telefone: (38) 2101-7760 – Horário de atendimento: 08h às 12h

Email do setor: infraestrutura@ica.ufmg.br

Horário de Atendimento da Coordenadoria: 09h às 11h e das 14h às 16h

 

Mais informações sobre a coordenadoria de Planejamento e Infraestrutura aqui.

 

Clique aqui para acessar o Plano diretor ICA – Dezembro de 2015

AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE E ECONOMIA

 

AÇÕES PARA ECONOMIA DE ÁGUA

 

     Sanitário:

  • Após o uso da torneira, fechar o sistema e conferir se o fluxo de água foi interrompido;
  • Em descarga com acionamento duplo, acionar o botão de menor fluxo para resíduos líquidos;
  • Não utilizar o vaso sanitário como lixeira;
  • Manter a torneira fechada ao escovar os dentes, lavar o rosto ou ensaboar as mãos;
  • Após o uso de mictórios: fechar o registro para interrupção de fluxo de água;
  • Em vestiários: evitar banhos prolongados.

 

     Áreas verdes:

  • Diminuir a frequência de irrigação das plantas;
  • Realizar o processo de regadura no início da manhã ou fim da tarde com o objetivo de reduzir a perda por evaporação;
  • Analisar a substituição de vegetação de jardins por espécies resistentes à seca;
  • Em períodos de inverno, regar os jardins em dias alternados.

 

     Limpeza e Laboratórios:

  • Evitar lavar pisos com água corrente. Sempre que possível, utilizar pano úmido;
  • Limpar calçadas, ruas e passeios com vassoura;
  • Lavar carros oficiais com menor frequência ou a seco;
  • Regular os destiladores de água ou outros equipamentos laboratoriais evitando perdas excessivas de água.

 

     Ações Estruturais:

  • Instalar equipamentos mais eficientes para economia de água: mictório sem água, arejador de vazão de torneira, torneiras com sensor de presença ou fechamento automático;
  • Substituir os equipamentos laboratoriais (destiladores de água) por equipamentos mais eficientes ou reaproveitar a água liberada no processo;
  • Substituir as descargas sanitárias de acionamento por válvula de descarga por um sistema de caixa acoplada;
  • Realizar manutenção periódica das instalações sanitárias: preventivo e corretivo:
  • Sinalizar informativos de boas práticas em área comuns e uso dos equipamentos hídricos;
  • Reutilizar água sempre que possível;
  • Realizar projetos visando práticas de medidas sustentáveis;
  • Instalar hidrômetros nos prédios de maior consumo de água para melhor monitoramento do gasto hídrico.

 

AÇÕES PARA ECONOMIA DE ENERGIA

  • Apagar as luzes, desligar os ventiladores e equipamentos elétricos ao sair dos ambientes;
  • Dar preferências ao uso de luz natural;
  • Em dias menos quentes, desligar os equipamentos condicionadores de ar priorizando utilizar ventiladores ou ventilação natural do ambiente;
  • Evitar desligar os aparelhos de ar-condicionado caso o período sem utilização do ambiente for pequeno;
  • Utilizar os aparelhos de ar-condicionado na temperatura entre 22° a 24° mantendo sempre as portas e janelas do ambiente fechadas;
  • Ligar o ar-condicionado, se necessário, no período vespertino e desligue 1 (uma) hora antes do fim do expediente. Não utilizar esses equipamentos nos horários de pico, das 17 às 20h, pois o custo unitário de energia chega a ser quatro vezes maior que no horário fora de pico;
  • Utilizar equipamentos laboratoriais fora do horário de pico (17 às 20h) e avaliar possibilidade de uso em conjunto com outros laboratórios;
  • Evitar o uso de motores/ bombas no horário de pico e nos períodos de maior consumo energético no Campus (no período da tarde, onde grande parte dos aparelhos condicionadores de ar estão funcionando), assim evitando o pico de gasto energético;
  • Realizar o abastecimento de caixas d’água da unidade fora do horário de pico e do período de maior consumo;
  • Programar o computador para desligar automaticamente ou alterar seu estado para “stand by” (descanso) após 5 minutos de inatividade e sempre desligá-lo por completo ao final do expediente;
  • Desligar o monitor durante os intervalos sem uso;
  • Instalar as geladeiras em locais ventilados, longe de fontes geradoras de calor e onde não incida radiação solar e retire ou guarde alimentos e bebidas de uma só vez, evitando abrir a porta sem necessidade;
  • Usar os chuveiros elétricos no modo verão ou desligados.
  • Evitar o uso de adaptadores, benjamins e extensões elétrica, pois o acúmulo de ligações em uma tomada pode causar sobrecargas e aumento de perdas elétricas;

 

     Ações Estruturais

  • Trocar as lâmpadas fluorescentes por lâmpadas de led;
  • Reduzir a quantidade de lâmpadas em área de circulação, pátios de estacionamento e ambientes externos desde que não prejudique a segurança dos locais;
  • Substituir gradativamente os aparelhos condicionadores de ar de baixa eficiência energética por equipamentos com a tecnologia “Inverter”.
  • Adquirir equipamentos mais eficientes;
  • Dar a preferência para cores claras em ambientes internos para melhorar a iluminação e temperatura dos locais de trabalho;
  • Realizar manutenções preventivas e corretivas nas instalações elétricas do Campus;
  • Contemplar projetos de novas construções visando práticas sustentáveis;
  • Elaborar projeto que vise a instalação de usina com energia fotovoltaica para o Campus.

 

AÇÕES PARA ECONOMIA DE INSUMOS EM GERAL:

  • Imprimir somente o que for estritamente necessário;
  • Se realmente for imprimir, preferencie utilizar os dois lados da mesma folha;
  • Solicitar somente o que for essencial no Almoxarifado do ICA;
  • Nunca solicitar mais materiais ou insumos do que for utilizar, evitando estoques paralelos;
  • O café servido no Campus poderá ser reduzido. No momento é servido somente para servidores e colaboradores em serviço. Evitar o desperdício transportando quantidade de café em garrafas que poderá esfriar e ser descartada nos setores.

 

OFÍCIOS CIRCULARES RELACIONADOS AO CONTINGENCIAMENTO

Of.Circular Interno 008 2019 – Consumo de Combustível

Of.Circular Interno 009 2019 – Uso Ar-condicionado

Of.Circular Interno 010 2019 – Manutenção

 

Caso você identificar ações que possam causar desperdício, vazamentos de água, luzes acesas indevidamente, equipamentos mal utilizados, dentre outros, comunique imediatamente a Coordenadoria de Planejamento e Infraestrutura através do Ramal 7760 ou do Celular 984017205 (falar com o Eng. Aldo) e, se for o caso, abra uma Ordem de Serviço em qualquer Portaria do ICA para que ações imediatas possam ser tomadas.

Medidas urgentes de economia e contingência é responsabilidade e dever de todos nós!

PLANTÃO DE SOBREAVISO

O regime de sobreaviso iniciará com a demanda, seja ela na parte de hidráulica ou na parte de elétrica, e posterior comunicação para as Portarias ou para a Equipe de Segurança, sendo que nesses locais serão efetuados os devidos registros e comunicações, conforme fluxograma, que segue logo abaixo.

Na existência de comunicação da demanda para as Portarias/Equipe de Segurança, as mesmas devem verificar na escala de sobreaviso quem é o colaborador responsável naquele dia pela demanda. Posteriormente deve comunicar via ligação telefônica com o colaborador em escala para efetuar os serviços necessários, assim como comunicar também com o Engenheiro João Victor (demandas de serviços hidráulicos) ou o Engenheiro Huggo (demandas de serviço elétricos), dependendo da demanda acerca do sobreaviso que estará em execução. Caso não haja o atendimento da ligação telefônica pelos engenheiros responsáveis, deve-se ligar para o servidor Daniela da Infraestrutura com o intuito de comunicar/registrar a situação.

 

TERMO DE SOBREAVISO

Posterior a execução do serviço solicitado, deve-se elaborar o termo de sobreaviso cujas instruções seguem abaixo:

Informações para serem descritas no termo:
Unidade solicitante: unidade onde ocorreu o problema;
Nome do solicitante: nome da pessoa que comunicou a demanda pelos serviços a serem executados;
Função do solicitante: função do mesmo no ICA;
Data e horário da solicitação: informar a data e o horário que o solicitante comunicou a demanda pelos serviços;
Motivo da solicitação: citar o problema a ser resolvido pelos colaboradores de hidráulica e/ou elétrica;
Data do atendimento/Início e fim do atendimento: informar a data que ocorreu a demanda e o horário de início dos serviços pelo colaborador e o horário que o mesmo finalizou os serviços;
Descrição da ocorrência: informar como ocorreu todo o procedimento de sobreaviso, tratando do problema a ser resolvido e do tipo de execução do serviço realizado;
Nome do técnico: informar o colaborador que efetuou os serviços, observando também a escala de sobreaviso;
Setor: delimitar se o mesmo é da parte hidráulica ou da parte elétrica;
– Por fim, recolher assinaturas da pessoa demandante do serviço, assim como do colaborador que prestou os serviços.

Logo após a confecção do termo de sobreaviso com as assinaturas devidas, deve-se entregar/enviar, no próximo dia útil, o referido termo na Coordenadoria de Planejamento e Infraestrutura.

 

Obs.: Os postos de sobreaviso destinam-se ao atendimento de urgência a ocorrências verificadas durante o período noturno, nos finais de semana e feriados e no período diurno fora do horário normal de trabalho, relacionadas à danificação de instalações hidráulicas que venham a causar vazamentos e alagamentos em prédios colocando em risco sua estrutura e a integridade de móveis e equipamentos; panes elétricas que venham a causar a interrupção de energia elétrica pondo em risco cirurgias, pesquisas (pela possibilidade de perda de culturas, produtos biológicos e químicos que necessitam ser armazenados em baixíssimas temperaturas ou de outros tipos que precisam de aquecimento constante); de lógica que ameacem a perda de informações vitais às atividades administrativas e acadêmicas; riscos a integridade física da comunidade; e outros serviços que não podem ser executados no horário normal de trabalho.

 

Obs.: Em caso de dúvidas, gentileza entrar em contato com o Daniela Santos(038 998162292) ou a Nivea Almeida (038 992203305), ambos responsáveis por esse fluxo na Coordenadoria.