UFMG | Campos Montes Claros
Home » Notícias » Força-tarefa da UFMG combate desinformação durante a pandemia
06 / Maio / 2020
Força-tarefa da UFMG combate desinformação durante a pandemia

O professor Yurij Castelfranchi falou sobre a iniciativa em entrevista à Rádio UFMG Educativa

O YouTube é uma das plataformas utilizadas por pesquisadores da Amerek. Imagem: Reprodução / Youtube

Além da batalha diária para oferecer tratamento aos infectados pelo novo coronavírus e para intensificar os hábitos de higiene, outro grande desafio é o combate à desinformação, causada pela divulgação e propagação de notícias falsas sobre o vírus e a Covid-19.

A fim de fornecer informações confiáveis e compreensíveis para o público sobre a pandemia, pesquisadores da UFMG criaram a Força-tarefa Amerek de combate ao coronavírus, iniciativa de divulgação científica que já conta com a colaboração de pesquisadores, jornalistas e comunicólogos de várias instituições do Brasil, assim como de outros países, como a Itália.

Em entrevista ao programa Conexões, da Rádio UFMG Educativa, nesta terça-feira, 5, o professor Yurij Castelfranchi, do Departamento de Sociologia da UFMG e um dos coordenadores do projeto, explicou que a iniciativa surgiu de curso de especialização em divulgação científica iniciado neste ano na UFMG.

“Tivemos apenas duas aulas do curso, em março, antes da suspensão das atividades da UFMG por causa da pandemia. A ideia, então, foi aproveitar o entusiasmo dessa nova jornada para produzir materiais certificados e garantidos, de qualidade, para informar contra o coronavírus”, afirmou Castelfranchi.

De acordo com ele, a iniciativa já conta com quase 50 pessoas, entre professores, alunos, profissionais de saúde e de comunicação, de entidades como a UFMG, a Fiocruz e a Fapemig, entre outras instituições de saúde, ensino, pesquisa e comunicação, de Minas Gerais e de todo o Brasil.

“Foi um desafio extraordinário. Éramos pessoas que mal nos conhecíamos e decidimos embarcar nessa jornada, de trabalhar em rede, de forma remota”, explicou Castelfranchi, que também classificou a iniciativa como “um grande sucesso”, com a adesão voluntária de profissionais de áreas variadas.

Amerek, que dá nome ao curso e, agora, à força-tarefa, é uma palavra da língua indígena Krenak, cujo significado é contato, ponte. “Justamente neste momento em que as pessoas não podem se abraçar e ter contato físico, queremos que a comunicação seja uma ponte entre os grupos sociais que precisam de informação”, explicou o professor.

Os conteúdos da Força-Tarefa Amerek de combate ao coronavírus podem ser acompanhados nas redes sociais do projeto: YoutubeFacebookTwitter e Instagram. No início de abril, Yurij Castelfranchi falou sobre a iniciativa em entrevista ao Portal UFMG.

Ouça a entrevista no Portal UFMG.

[Produção de Arthur Bugre]