UFMG | Campos Montes Claros
Home » Notícias » UFMG estabelece política para orientar sua comunicação institucional
20 / abr / 2023
UFMG estabelece política para orientar sua comunicação institucional

​Diretrizes estão reunidas em resolução aprovada pelo Conselho Universitário

Gestão da política caberá ao Cedecom, órgão auxiliar da Reitoria responsável pelas mídias institucionais da UFMG. (Foto: Foca Lisboa/UFMG)

As diretrizes da comunicação institucional da UFMG foram aprovadas pelo Conselho Universitário em sua última sessão, realizada no dia 30 de março. A política de comunicação, materializada na Resolução 02/2023, formaliza princípios, diretrizes, normas e responsabilidades e instrui agentes institucionais sobre a condução da comunicação da UFMG.

“É um documento que traz orientações sobre os fluxos e processos de comunicação relacionados à imagem da UFMG, à sua identidade e à sua reputação. Essa normativa é fundamental para fortalecer e promover a legitimidade social da Universidade e reforçar o seu caráter plural e democrático”, afirma a reitora Sandra Regina Goulart Almeida, ao mencionar um aspecto central do documento, que foi encaminhado aos gestores da UFMG e acaba de ser publicado na edição 2.126 do Boletim UFMG. As diretrizes se somam a outras políticas aprovadas nos últimos tempos pelo Conselho Universitário, como a de inovação e a de divulgação científica.

A construção de uma política de comunicação para a Universidade era um dos objetivos expressos no Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) da UFMG para o ciclo 2018-2023. Elaborado por equipe técnica do Centro de Comunicação (Cedecom) da UFMG, o documento, que tem 17 artigos, é um desdobramento de sua institucionalização como órgão auxiliar da Reitoria, processo que foi formalizado em abril de 2021.

“A universidade pública tem uma missão muito clara e da qual não pode se afastar: construir e compartilhar o conhecimento em compasso com o desenvolvimento da cidadania e da sociedade”, afirma a diretora do Cedecom, Fábia Pereira Lima. Embora o órgão seja responsável pela gestão da política de comunicação da UFMG, Fábia Lima ressalta que “cabe à comunidade universitária a responsabilidade pela sua execução, em especial as pessoas que atuam nas áreas mais afeitas aos processos de comunicação”.

Lastro na comunicação pública
Em maio de 2021, após a institucionalização do Centro de Comunicação (Cedecom) da UFMG, um Grupo de Trabalho (GT) foi constituído com a tarefa de compor e propor a minuta de Política de Comunicação para a Universidade.

No decorrer daquele ano, em reuniões quinzenais, o GT realizou uma série de estudos e de debates sobre conceitos teóricos relativos aos aspectos fundamentais que regem uma política de comunicação em uma organização pública como a UFMG. Além disso, a equipe fez amplo levantamento de referências sobre a temática, aí incluídas as experiências de outras universidades públicas brasileiras na formulação de políticas de comunicação. Por fim, os membros fizeram um resgate da memória de discussões sobre o assunto que vinham sendo realizadas desde 2017 no próprio Cedecom.

Em seguida, sob a égide dos princípios da comunicação pública, esses estudos foram cotejados aos objetivos, à missão e à visão da Universidade, estabelecidos em suas normativas superiores. Desse trabalho resultou a primeira minuta da política de comunicação, entregue à direção do Cedecom para apreciação em dezembro de 2021. Em meados do ano passado, ela foi submetida à apreciação e à participação da comunidade universitária.

Contribuições
“Essa participação da comunidade foi fundamental para a elaboração de um documento capaz de acolher a diversidade de vozes e de pontos de vista que caracteriza a instituição”, pontua a diretora, que também ressalta a importância das contribuições trazidas pelo recém-instituído Conselho de Comunicação do órgão, formado por docentes da UFMG de todas as grandes áreas do conhecimento, servidores técnico-administrativos em educação eleitos pela comunidade universitária, inclusive do próprio Cedecom, além de estudantes e membros externos – profissionais especialistas na área da comunicação. “Uma das sugestões apresentadas no âmbito do Conselho trata do combate à desinformação, assunto fundamental para o fortalecimento da democracia e objeto de parceria com o Supremo Tribunal Federal”, complementa a diretora.

As sugestões colhidas durante os processos de consulta foram analisadas e, quando pertinentes, agregadas à minuta. O texto foi encaminhado ao Conselho Universitário, que finalizou o processo de aprovação no fim de março.

A política de comunicação deverá ser desdobrada em estratégias, técnicas e regulamentações (manuais, programas, fluxos etc.) capazes de fortalecer a imagem e a reputação da Universidade junto aos diferentes públicos com os quais se relaciona.