UFMG | Campos Montes Claros
Home » Notícias » Pesquisa aponta o uso da farinha de baru como auxiliar na alimentação de bezerros leiteiros
17 / maio / 2023
Pesquisa aponta o uso da farinha de baru como auxiliar na alimentação de bezerros leiteiros

De acordo com estudo, farinha de baru pode substituir parte do milho utilizado nos primeiros meses dos animais

De acordo com a pesquisa, a farinha de baru pode substituir parte do milho na alimentação de bezerros leiteiros. Foto: Lucas Vieira/Acervo Pessoal

Um fruto nativo do cerrado pode se tornar uma alternativa para alimentação de bezerros leiteiros. O baru foi tema de estudo do mestre em Produção Animal pelo Instituto de Ciências Agrárias (ICA) da UFMG, Lucas Gomes Vieira. “A fase de cria na bovinocultura leiteira é caracterizada pelos altos custos de produção devido a oscilações de preços para aquisição de substitutos do leite, concentrados comerciais e mão-de-obra especializada. Por ser considerado um período chave na lucratividade das fazendas leiteiras, a inclusão do coproduto do baru na alimentação de bezerros leiteiros, de forma que não comprometa o desempenho dos animais, pode reduzir os custos nesta fase”, explica o pesquisador.

Alternativa para a substituição do milho

Animais receberam farinha de baru como parte da alimentação por 60 dias. Foto: Lucas Vieira/Acervo Pessoal

Os estudos começaram cerca de dois anos atrás. De acordo com o pesquisador, o fruto foi escolhido para pesquisa por apresentar elevada produtividade, alto valor nutricional, múltiplas funcionalidades, colheita em períodos de escassez de alimentos, bem como a possibilidade de inclusão do seu coproduto na alimentação animal. O trabalho foi orientado pela professora doutora em Zootecnia, Luciana Geraseev. “O experimento foi realizado com bezerros leiteiros na fase de aleitamento. Utilizamos 16 animais machos que entraram no experimento no terceiro dia de vida. Acompanhamos o desenvolvimento dos animais até o desmame, que ocorreu com 60 dias de idade”, conta a docente.
Os bezerros foram aleitados com 4 litros de leite in natura dividido em duas refeições diárias, fornecidos em mamadeiras e tiveram acesso livre à água, feno e concentrado até os 60 dias de idade. Foram utilizados quatro tratamentos experimentais: o tratamento controle recebeu dieta convencional à base de milho, soja e núcleo mineral. Já os tratamentos com substituição receberam ração formulada com milho, soja, núcleo mineral e 25%, 50% e 72% de farinha de baru em substituição ao milho.
“Durante a pesquisa avaliamos ganho de peso e comportamento ingestivo de bezerros leiteiros alimentados com diferentes níveis da farinha de baru em substituição ao milho na dieta sólida. A inclusão da farinha de baru em substituição ao milho na dieta dos bezerros proporcionou desempenho similar entre os animais dos tratamentos, demonstrando ser uma importante alternativa para composição de dietas iniciais, especialmente em regiões semiáridas, onde o baru é encontrado”, destaca Lucas Vieira.
Após análise dos dados, foi estabelecido qual grupo obteve melhor desempenho. “Quando fizemos a análise econômica, a substituição de 50% do milho pela farinha de baru, foi a que obteve melhor resultado. Desta forma, conclui-se que a farinha de baru é uma alternativa viável para o produtor”, afirma Luciana Geraseev.

Sobre o Baru
Fruto do barueiro, uma árvore nativa do cerrado brasileiro, o baru pode ser encontrado nos estados de Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e Distrito Federal. Normalmente, os primeiros frutos surgem quando a árvore completa 6 anos. A safra costuma ser de dois em dois anos e começa no mês de julho. Cada árvore chega a produzir até 150 quilos de baru. O alto valor nutricional do baru tem despertado o interesse de diversos setores. O fruto tem cerca de 26% de teor de proteínas, superior à castanha do pará e castanha de caju.

(Ana Cláudia Mendes/Cedecom UFMG Montes Claros)