UFMG | Campos Montes Claros
Home » Notícias » Núcleo de Pesquisa e Apoio à Agricultura Familiar (NPPJ) da UFMG lança cartilha sobre impactos da pandemia da Covid-19 sobre feiras livres de Medina
15 / dez / 2023
Núcleo de Pesquisa e Apoio à Agricultura Familiar (NPPJ) da UFMG lança cartilha sobre impactos da pandemia da Covid-19 sobre feiras livres de Medina

Trabalho foi desenvolvido entre 2020 e 2023 em parceria com o Instituto Federal do Norte de Minas Gerais Sindicato de Trabalhadores Rurais de Medina

Cartilha traz entre os dados, hábitos de consumo que mudaram durante a pandemia
Foto: Capa da cartilha

Foi lançada esta semana uma cartilha sobre os impactos da pandemia da Covid-19 sobre a feira livre de Medina, no Vale do Jequitinhonha. O trabalho foi desenvolvido pelo Núcleo de Pesquisa e Apoio à Agricultura Familiar (NPPJ) da UFMG em parceria com Instituto Federal do Norte de Minas Gerais (IFNMG) em Almenara e Sindicatos de Trabalhadores Rurais de Medina e teve o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). A cartilha apresenta dados de duas pesquisas – a primeira, em 2020, a outra em 2023. Por meio do estudo foi possível comparar o momento anterior à pandemia e o pós-pandemia. Pela comparação buscou-se analisar os impactos da Covid no funcionamento da feira, e no comportamento de feirantes e consumidores.

Registro feito na feira livre de Medina, no Vale do Jequitinhonha
Foto: Acervo NPPJ

A pesquisa detalha dados como média de idade de feirantes e consumidores, hábitos de consumo que permaneceram ou mudaram durante a pandemia, número de feirantes e média de gastos com as compras no local. Percebeu-se, por exemplo, que devido à mudança de hábitos, houve queda de participação da feira no PIB municipal – que passou de 25,8% em 2020 para 21,2% em 2023.
Com relação ao apoio de instituições governamentais e não governamentais, a maioria dos feirantes entrevistados (72%) declarou não receber nenhum apoio. Entre os que receberam apoio, o suporte veio da Prefeitura, Emater/MG e Instituto de Trabalhadores e Trabalhadoras do Vale do Jequitinhonha – Itavale.
Os pesquisadores concluíram que apesar de todos os desafios enfrentados na pandemia, a feira se manteve contribuindo substancialmente para o abastecimento urbano, renda dos feirantes e para
cerca de 21% do Produto Interno Bruto (PIB) da agropecuária municipal, mostrando seu potencial para estimular o desenvolvimento socioeconômico local.
Além disso, a feira desempenha papel relevante no fornecimento de alimentos saudáveis e ecologicamente conscientes, abastecendo e beneficiando aproximadamente 20% da população urbana de Medina. Esse engajamento valoriza a cultura local e gera renda, além de fortalecer a soberania alimentar e a agricultura familiar do município.

Acesse a cartilha aqui .