UFMG | Campos Montes Claros
Home » Notícias » Divulgado resultado das chamadas da política de inclusão digital
24 / jul / 2020
Divulgado resultado das chamadas da política de inclusão digital

Em Montes Claros, 650 estudantes receberão auxílio para acesso à internet, compra e empréstimo de computadores e equipamentos

Política de inclusão digital foi estruturada com base em consulta aos estudantes. Foto: Lucas Braga / UFMG

Mais de quatro mil estudantes de graduação foram contemplados nas chamadas do programa UFMG meu lugar: inclusão digital, que tem o objetivo de instrumentalizar os estudantes de graduação da Universidade para o ensino remoto emergencial adotado em razão da pandemia de covid-19. Os estudantes receberão auxílio para acesso à internet, compra e empréstimo de computadores e aquisição de equipamentos. As aulas na graduação recomeçam a partir de 3 de agosto. As atividades na pós-graduação foram retomadas neste mês.

No Instituto de Ciências Agrárias da UFMG, foram comtemplados 650 estudantes ao todo nas diferentes chamadas. Foram 346 estudantes na Chamada I, 277 na Chamada II, 21 estudantes na Chamada III, e 6 estudantes na Chamada IV.

Serão aportados recursos oriundos do Plano Nacional de Assistência Estudantil e do orçamento da própria UFMG. “Nessa primeira rodada, conseguimos atender a todos os estudantes que demandaram o auxílio”, informa o pró-reitor de Assuntos Estudantis da UFMG, professor Tarcísio Mauro Vago.

Ao comentar o êxito do processo, a reitora Sandra Regina Goulart Almeida disse que a política de inclusão digital representa mais um capítulo da bem-sucedida política de assistência estudantil da UFMG, formulada pela Pró-reitoria de Assuntos Estudantis (Prae) e por outros setores da Universidade e operacionalizada pela Fundação Universitária Mendes Pimentel (Fump). “Nossas ações de apoio aos estudantes são muito consistentes e sólidas. E essa política de inclusão digital, proposta neste momento tão complexo, é prova não só dessa solidez, mas também da capacidade de reinvenção da política de assistência estudantil, que soube se ajustar rapidamente às necessidades emergenciais e atender a uma importante demanda de inclusão da nossa comunidade estudantil”, afirma a reitora.

Segundo Sandra, é preciso trabalhar a inclusão discente em várias frentes, e a digital é uma delas. “O Brasil é um país de desigualdade digital direta, ou seja, onde há pessoas sem qualquer acesso, e indireta, caracterizada pelo acesso muito restrito”, afirma. A reitora diz acreditar que a Universidade está preparada para enfrentar os desafios impostos pelo ensino remoto emergencial “com responsabilidade, equidade e flexibilidade”.

Na conta
Os recursos das chamadas I, II e IV já estão sendo depositados nas contas correntes dos estudantes no Banco do Brasil ou no Santander. É obrigatória a apresentação da nota fiscal ou da fatura em nome do estudante ou de algum familiar. A comprovação da compra deverá ser enviada, em cópia escaneada, em até 30 dias corridos após o recebimento do auxílio, para os e-mails css@fump.ufmg.br ou acolhimento@fump.ufmg.br. As informações sobre o empréstimo de notebooks, que contemplará os estudantes selecionados na Chamada III, serão divulgadas em breve.

A quinta chamada, com inscrições abertas até 31 de julho, é específica para estudantes indígenas e quilombolas. Na UFMG, há 110 estudantes pertencentes a esses grupos. E a sexta chamada, que também beneficiará indígenas e quilombolas, tem a finalidade de viabilizar a compra de pacotes de internet.

Segundo Tarcísio Vago, também estão abertas chamadas para o Coltec e para o Teatro Universitário (TU) e outra exclusiva para alunos de pós-graduação, que prevê ajuda de R$ 100 mensais para compra de pacotes de internet e para empréstimo de equipamentos. O Centro Pedagógico da UFMG, de forma autônoma, também elaborou um plano de inclusão. Haverá também uma chamada específica para os estudantes indígenas e do campo.

Na avaliação do vice-reitor Alessandro Fernandes Moreira, o trabalho foi muito bem coordenado. “Fizemos uma consulta aos estudantes e já tínhamos um horizonte de quantas pessoas precisariam ser atendidas”, destaca. Ele afirma ainda que a Prae fará um trabalho de busca ativa para identificar estudantes que precisem do auxílio. “Poucas pessoas não responderam à consulta. Se for necessário, faremos mais uma chamada para empréstimo de computadores e acesso a dados. O objetivo é não deixar ninguém de fora”, reforça.

Chamadas
A primeira das chamadas, que contemplou 2.416 alunos, foi destinada à aquisição de equipamentos por estudantes de primeira graduação, em regime presencial, regularmente matriculados e frequentes. Eles receberão auxílio de R$ 1,5 mil.

A segunda prevê a oferta de apoio financeiro para contratação de serviços de internet, softwares e outros recursos para beneficiar a inclusão de estudantes de graduação assistidos por programas da Universidade, regularmente matriculados e frequentes em cursos presenciais. Foram contemplados cerca de dois mil estudantes. Os valores serão de R$ 100 para assistidos nível 1, R$ 80 para o nível 2 e R$ 70 para o nível 3. O repasse será feito mensalmente durante o período de vigência do ensino emergencial remoto.

Também destinada a estudantes de graduação, a terceira chamada tinha como foco empréstimos de computadores. Foram contemplados os estudantes classificados nos níveis 1, 2 e 3, com avaliação socioeconômica em vigor, renda bruta per capita de até um salário mínimo e meio, sempre com preferência para as menores rendas brutas por pessoa. “A UFMG fará uma licitação para alugar, por 12 meses, até dois mil notebooks. Eles serão destinados a estudantes do Coltec, do TU, dos cursos de graduação e pós-graduação”, detalha Tarcísio Vago.

A quarta chamada, que contemplou 82 estudantes (todos os inscritos), destina-se à aquisição de material acadêmico específico (equipamentos de tecnologia assistiva e/ou tecnológicos) para graduandos com deficiência. Eles também devem estar cursando sua primeira graduação, regularmente matriculados e frequentes no primeiro semestre de 2020, acompanhados pelo Núcleo de Acessibilidade e Inclusão (NAI) e assistidos por programas da UFMG gerenciados pela Fump. Cada estudante receberá até R$ 1,5 mil.

A política de inclusão digital da UFMG prevê também a reestruturação da rede de internet sem fio nas moradias universitárias. A entrega está prevista para a segunda semana de agosto.

Chamadas destinadas a vários grupos de alunos e campanha de apadrinhamento são ações da política de inclusão digital, lançada para suprir uma necessidade emergencial. Foto: Lucas Braga / UFMG

Apadrinhamento digital
Outra frente da Política de Inclusão Digital é a Bolsa Apadrinhamento Inclusão Digital conduzida pela Prae e pela Fump. A iniciativa convoca a comunidade universitária a fazer doações de equipamentos ou recursos financeiros para possibilitar que estudantes assistidos acompanhem as atividades acadêmicas remotamente.

O auxílio será destinado aos alunos de primeira graduação – regularmente matriculados e frequentes – classificados socioeconomicamente nos níveis I, II e III (nessa ordem) em Belo Horizonte e em Montes Claros. Até a última segunda-feira, dia 20, as doações em máquinas e dinheiro equivalia a 88 computadores.

De acordo com a presidente da Fump, Sandra Bianchet, a campanha não tem data estabelecida para terminar. “Todos os dias, novos estudantes são classificados pela Fundação, e eles provavelmente precisarão de computadores para as aulas remotas da UFMG. Nosso objetivo é contemplar o maior número possível de assistidos”, afirma a presidente da Fump, que faz questão de agradecer às pessoas que “separaram um pouquinho de seu tempo para ir até a Fump para doar um mouse, um teclado ou um computador”.

“Sabemos das dificuldades adicionais que esse momento gera para os estudantes e contamos mais uma vez com a sensibilidade da nossa comunidade acadêmica”, diz Sandra Bianchet, ressaltando a necessidade de que as contribuições tenham continuidade. O valor concedido a cada aluno será de R$ 1.500, mas não há quantia estipulada para as doações.

A UFMG tem 7.517 estudantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica contemplados por sua política de assistência, dos quais 2.828 estão na faixa de renda familiar per capita de até meio salário mínimo e 3.051, entre meio e um salário mínimo.

As contribuições podem ser dadas em forma de equipamentos (notebook ou computador “desktop”) ou em dinheiro. No caso dos equipamentos, a recomendação é de que eles tenham a configuração Core 2 Duo, 4GB, 500 HD / 120 SSD, com tela de, no mínimo, 14 polegadas. Essas condições atendem às demandas do ensino remoto emergencial.

A Fump está recebendo as doações em sua sede, localizada na Avenida Antônio Abrahão Caram, 610, bairro São José, às terças-feiras, das 9h às 12h, e às quintas-feiras, das 13h às 17h. Também estão sendo recolhidos equipamentos periféricos como teclados, mouses e caixas de som. Os doadores podem agendar a entrega pelo e-mail comunica@fump.ufmg.br.

As contribuições financeiras, por sua vez, podem ser feitas por meio de uma das contas da Fump, no Banco do Brasil (agência 1615-2, conta corrente 22942-3) ou no Banco Santander (agência 4546, conta corrente 13.004008-3). O CNPJ da Fump é 17.220.583.0001-69.

A prestação de contas referente ao emprego dos recursos arrecadados é publicada semanalmente (às terças-feiras) no site da Fundação Mendes Pimente, onde estão disponíveis mais informações sobre a campanha. O interessado também pode escrever para comunica@fump.ufmg.br. Outro ambiente que reúne dados sobre a iniciativa é o site UFMG Coronavírus, criado e gerenciado pelo Centro de Comunicação (Cedecom).

[Texto: Matheus Espíndola/Cedecom UFMG]