UFMG | Campos Montes Claros
Home » Notícias » Grupo de estudos da UFMG participa do Torneio Leiteiro da Expomontes 
06 / jul / 2023
Grupo de estudos da UFMG participa do Torneio Leiteiro da Expomontes 

Grupo formado por 10 acadêmicos da Universidade faz fiscalização das atividades da competição 

O Sanileite atua no Torneio Leiteiro desde a criação da competição, há 15 anos.
Foto: Eber Faioli

Desde o dia cinco de julho, acadêmicos do Grupo de Estudos em Sanidade Animal e Qualidade do Leite da UFMG em Montes Claros, o Sanileite, estão no Parque de Exposições João Alencar Athayde para acompanhar o Torneio Leiteiro. Vitrine da cadeia leiteira do Norte de Minas, a competição tem como objetivo promover a pecuária leiteira, difundindo e incrementando o consumo de leite e seus derivados, além reunir técnicos e criadores para aperfeiçoamento de métodos para aumento da produção norte-mineira.

O grupo, formado por 10 acadêmicos da Universidade, e coordenado pela professora Anna Christina de Almeida, participa da organização e fiscalização do torneio desde que a competição começou há 15 anos. “O objetivo de trazer estes estudantes para o parque é fazer com que eles vivenciem um pouco do que podem vir a trabalhar futuramente em suas carreiras profissionais. É um momento de contato dos estudantes e também de divulgar as potencialidades dos animais da região”, explica a docente.

Conhecimento em Ação

O grupo atua na fiscalização das atividades, como a pesagem do leite em cada ordenha.
Foto: Eber Faioli

As ordenhas serão realizadas durante 72 horas, nos dias 05, 06 e 07, totalizando nove extrações de leite neste período. Esta atividade é realizada em horários pré-estabelecidos, sendo eles: 7h da manhã, às 14h e 21h. O resultado será divulgado no dia 08 de julho. Durante o processo de ordenha, só podem ter acesso à sala, os ordenhadores e membros da comissão do Torneio Leiteiro. As pesagens são realizadas imediatamente após cada extração de leite. “Nós atuamos na fiscalização do cumprimento do regulamento desde a esgota dos animais até a entrega da premiação. As ordenhas são realizadas sob fiscalização, o leite é pesado e os dados são computados”, afirma a coordenadora do Sanileite.

O trabalho dos acadêmicos é bem detalhista e passa por várias etapas.  “A gente afere a produtividade de cada animal, eles são classificados conforme a idade e também conforme o grau sanguíneo, se é puro, apurado ou meio sangue. Em seguida, a gente contabiliza o tempo de ordenha e a produção. Assim, a gente vê qual vaca mais produziu conforme a categoria”, detalha a acadêmica de Zootecnia Bruna Cardoso.

Para os acadêmicos, participar do Torneio é uma forma de se atualização sobre a cadeia leiteira da região.
Foto: Eber Faioli

Há mais tempo no grupo de estudos, para a mestranda em Produção Animal da UFMG em Montes Claros, Franciane Santos, participar do Torneio Leteiro é uma oportunidade de se atualizar sobre o ramo. “Já tive a oportunidade de atuar no torneio leiteiro em outros anos, e é sempre uma experiência muito enriquecedora para nós, estudantes. Temos a oportunidade de conhecer diversos produtores e profissionais da área e nos atualizar nas tendências da pecuária leiteira”.

(Ana Cláudia Mendes I Cedecom UFMG Montes Claros)